segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ESPIRITUALIDADE


BOM NÃO PODEREI FALAR SOBRE A ESPIRITUALIDADE SEM COLOCAR AQUI OQUE ACREDITO,ENTÃO FIZ UM MINUCIOSO ESTUDO DE MUITAS COISAS PARA PODER FALAR EXATAMENTE OQ SEI E ACREDITO...
"Para se designarem coisas novas são precisos termos novos. Assim o exige a clareza da linguagem". É a primeira frase do "Livro dos Espíritos" de Allan Kardec. Ele tentou precisar, logo no início, a nuance entre as palavras espiritual, espiritualista e espiritualismo, que têm uma acepção bem definida, e as palavras espírita e espiritismo. "O espiritualismo é o oposto do materialismo; qualquer um que creia ter em si algo além da matéria é espiritualista; mas não segue daí que necessariamente acredite na existência dos Espíritos ou em suas comunicações com o mundo visível. Em lugar das palavras espiritual e espiritualismo, empregamos, para designar esta última crença, espírita e espiritismo." Esses termos são então neologismos, isto é, palavras criadas e definidas por Allan Kardec.
Um espírita é então um espiritualista, pois tem a certeza experimental da existência dos espíritos, que são as almas dos homens em transição entre o túmulo e o berço. Nesta exposição, tentaremos mostrar que elas são as bases das convicções espiritualistas do espírita e as conseqüências do Espiritismo no plano da ética.

"A doutrina espírita, no que concerne às penas futuras como em seus outros temas, não está fundada sobre uma teoria preconcebida; não é um sistema substituindo outro sistema: em tudo se apóia em observações, e é isto que lhe dá sua autoridade. Então, de forma alguma se tem imaginado que as almas, após a morte, devem se encontrar em tal ou qual situação; são os seres mesmos que deixaram a terra que vêm hoje nos iniciar nos mistérios da vida futura, descrever sua posição feliz ou infeliz, suas impressões e sua transformação na morte do corpo; em uma palavra, completar sobre esse ponto os ensinamentos do Cristo" (10).
A ética espírita coincide então com a ética cristã, tal qual foi ensinada e praticada por Jesus, e com aquela ditada pela consciência isenta de prejulgamentos e interesses. "A moral dos Espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: Agir para com os outros como quereríamos que os outros agissem para conosco; quer dizer, fazer o bem e nunca fazer o mal. O homem encontra neste princípio a regra universal de conduta para suas mínimas ações" (11).
À questão 625 do "Livro dos Espíritos": "Qual é o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem para lhe servir de guia e modelo?", os Espíritos responderam: "Jesus".
O Espiritismo oferece uma visão global que permite compreender as razões da convergência de três vertentes independentes - a racional espírita, a cristã e a da consciência - para um mesmo conjunto de normas morais, que se resume no respeito e no amor ao próximo.
Cada uma se baseia, em última instância, na penetração nas próprias estruturas do Universo, reguladoras da harmonia que aí reina.
O Espiritismo atinge este objetivo pela observação científica dos fenômenos naturais, aliada aos métodos de análise racional. A consciência do ser humano é o dispositivo natural que lhe permite "concordar" com o plano geral do Universo, e evoluir de modo ordenado.
Jesus, espírito puro e inteligente, com os sentimentos e a intuição desenvovidos a um grau que não podemos assimilar, não está certamente limitado aos meios de que dispomos para penetrar as leis do Universo. Utilisou outros meios que escapam completamente aos nossos limites conceituais.
Sublinhamos que a coerência não se prende à ética cristã, mas se extende igualmente às bases fundamentais de outras religiões. "Não há para o homem de estudo nenhum antigo sistema filosófico, nenhuma tradição, nenhuma religião a ser negligenciada, porque todos encerram os germes de grandes verdades que, se bem pareçam contraditórias umas às outras, esparsas que estão em meio a acessórios sem fundamento, são muito fáceis de coordenar, graças à chave que nos dá o espiritismo para uma multidão de coisas que têm podido, até aqui, nos parecer sem razão e das quais a realidade nos é demonstrada hoje de maneira irrecusável" (12).
"A conseqüência do espiritismo é tornar os homens melhores, e portanto mais felizes, pela prática da mais pura moral evangélica" (13). A verdade espírita então não se reconhece unicamente pelo conhecimento racional da doutrina espírita. A certeza positiva sobre o porvir, decorrendo de fenômenos que atingem seus sentidos, faz que se comportem conforme a ética e a moral ensinada por Cristo. Sua máxima é aquela de Allan Kardec: « Fora da caridade, não há salvação! », porque sabe que seu interesse pessoal não será servir senão em função de seu ardor pelo interesse coletivo. Não tem absolutamente nenhum propósito lucrativo, nenhuma ambição de poder ou de posição a não ser esta, de progredir na sua evolução e de fazer progredir o seu próximo.

7. CONCLUSÃO

A rejeição sem provas ou a recusa de examinar racionalmente o mundo espiritual apresentam o inconveniente de deixar o campo livre aos abusos de todo gênero, geralmente de ordem financeira, e algumas vezes mesmo dramáticos, explorando a credulidade das pessoas. O Espiritismo traz os elementos lógicos que permitem refutar esses abusos de maneira formal, oferecendo a todos respostas claras e consoladoras à maioria das questões existenciais, tão freqüentes na origem do desespero humano.
O Espiritismo não faz nenhum proselitismo, e não pretende deter a exclusividade da Verdade. Allan Kardec pergunta humildemente: "Qual é o homem que pode se gabar de a possuir inteiramente, quando o círculo dos conhecimentos cresce sem cessar, e as idéias se retificam a cada dia?" (14).
O Espiritismo proclama a liberdade de consciência, o direito de livre exame em matéria de fé. Recebe os que vêem voluntariamente à ele, e não procura desviar ninguém de suas crenças ou de sua religião. A crença de uma pessoa importa pouco, desde o momento em que ela trabalhe para o bem de seu próximo. O Espiritismo se dirige àquele que, estando perdido ou não estando satisfeito com o que se lhe tem sido dado, procura alguma coisa de melhor. Não diz: "Creia primeiro, e compreenderá em seguida se você puder", mas "Compreenda primeiro, e creia em seguida se você assim o quiser".
Encorajamos as pessoas, desejosas de se esclarecerem, a ler e meditar, não mais que as trinta páginas da introdução do Livro dos Espíritos, que lhes confirmarão que o objetivo essencial do Espiritismo não é senão o de procurar o que pode ajudar ao progresso moral e intelectual dos homens.
SEM CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO!!!
QUE DEUS NOSSO PAI E JESUS NOSSO IRMÃO MAIOR POSSA ABENÇOAR SEMPRE NOSSO ORVALHO DO CÉU (Rosélia)...PARABÉNS AO BLOG  ...2 ANINHOS!!!
http://espiritual-idade.blogapot.com/

Para vc Roselia querida pelo aniver~´ario do blog,sinta-se á vontade para dar a todos q participaram desta festa maravilhosa, grande abraço fraterno em seu coração...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

EFETIVAMENTE


Efetivamente 

Vigiar não é desconfiar. É acender a própria
luz, ajudando os que se encontram nas sombras.
Defender não é gritar. É prestar mais intenso
serviço às causas e às pessoas.
Ajudar não é impor. É amparar, substancialmente, sem pruridos de personalismo, para que o
beneficiado cresça, se ilumine e seja feliz por si mesmo. Ensinar não é ferir. É orientar o próximo, amorosamente, para o reino da compreensão e
da paz. Renovar não é destruir. É respeitar os fundamentos, restaurando as obras para o bem
geral. Esclarecer não é discutir. É auxiliar, através do espírito de serviço e da boa-vontade,
o entendimento daquele que ignora.
Amar não é desejar. É compreender sempre,
dar de si mesmo, renunciar ao próprios caprichos
e sacrificar-se para que a luz divina
do verdadeiro amor resplandeça. 

_André Luiz_

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

BOM ÂNIMO


Bom - ânimo
* Dificuldades? Não perca tempo, lamuriando. Trabalhe.
* Críticas? Nunca aborrecer-se com elas.Aproveite-as
no que mostrem de útil.
* Incompreensões? Não busque torna-las maiores,
através de exigências e queixas. Facilite o caminho.
* Intrigas? Não lhes estenda a sombra. Faça alguma
luz com o óleo da caridade.
* Perseguições? Jamais revida-las. Perdoe esquecendo.
* Calúnias? Nunca enfurecer-se contra as arremetidas
do mal. Sirva sempre.
* Tristezas? Afaste-se de qualquer disposição ao desânimo.
Ore abraçando os próprios deveres.
* Desilusões? Por que debitar aos outros a contra de
nossos erros? Caminhe para frente, dando ao mundo e
á vida o melhor ao seu alcance.
* Doenças? Evite a irritação e a inconformidade.
Raciocine nos benefícios que sofrimento do corpo
passageiro trazem á alma eterna.
* Fracasso? Não acredite em derrotas.Lembre-se de
que, pela benção de Deus, você está agora em seu
melhor tempo, - o tempo de hoje, no qual você pode
sorrir e recomeçar, renovar e servir,
em meio de recursos imensos.
_André Luiz_

terça-feira, 16 de agosto de 2011

INSPIRAÇÃO


Inspiração
São vozes cantando hinos
Mãos criando vida e cor
Dramas e comédias em cena
Para as nuances do amor
Quando os homens se esquecem
Dos valores imortais
O mundo assiste as tragédias
Nas cenas que são reais
Quando a música envolve
O ser que erra e chora
O espírito se transforma
E o ambiente melhora
O Pai bondoso nos vigia
Inspirando a paz e o bem
Dignificar todas as artes
E honrar a Deus também
Criar o bom e o belo
Com nobreza e alegria
É semear em toda parte
O esplendor de um novo dia
Novos tempos, nova forma
De pregar e construir
Iluminar consciências
Renovar e divertir
Com sons, cores, gestos e formas
Vozes, mãos e instrumentos
Se transformam as paisagens
E também os sentimentos
Que vibram além do éter
Dulcificando a existência
Alcançando o Pai amado
E conquistando clemência
( Pensamentos espíritas )

sábado, 13 de agosto de 2011


Na Obra do Cristo


Lembrando a palavra do Senhor
quando despediu os companheiros de
apostolado, recomendando-lhes não se
preocupassem, acumulando nas mãos
ouro e prata, bolsas e bastões, para
a caminhada na obra sublime
que lhes competia realizar, também hoje,
na missão espírita-cristã,
que nos objetiva o justo aperfeiçoamento,
podemos dispensar tudo o que seja em
nós aflição sem proveito.
Nem cobertura política.
Nem lustre social.
Nem ouro prescindível.
Nem reserva nos bancos.
Nem garantias extralegais.
Nem vantagens de exceção.
Nem acesso à influência.
Nem láurea de governança.
Nem títulos invulgares.
Nem ambição de ganho.
Nem propósito de destaque...

Mas sim que, em toda hora, estejamos
atentos ao dever de servir, esquecendo
a nós mesmos para exalçar o Cristo,
nosso Mestre e Senhor,
por sentimento e vida, por palavras
e ações, poquanto d´Ele próprio tudo
receberemos, para que não nos falte
o exato suprimento
dos recursos precisos á construção
do bem e ao plantio da luz.

***Emmanuel
***

DESEJOS


Desejos 


Desejo é realização antecipada.
Querendo, mentalizamos; mentalizando,
agimos; agindo, atraímos; e atraindo, realizamos.
Como você pensa, você crê, e como você crê, será.
Cada um tem hoje o que desejou ontem e terá
amanhã o que deseja hoje.
Campo de desejo, no terreno do espírito,
é semelhante ao campo de cultura na gleba
do mundo, na qual cada lavrador é livre na
sementeira e responsável na colheita.
O tempo que o malfeitor gastou para agir
em oposição à Lei, é igual ao tempo que o santo
despendeu para trabalhar sublimando a vida.
Todo desejo, na essência, é uma entidade tomando
a forma correspondente.
A vida é sempre o resultado de nossa própria escolha.
O pensamento é vivo e depois de agir sobre o
objeto a que se endereça, reage sobre a criatura
que o emitiu, tanto em relação ao bem quanto ao mal.
A sentença de Jesus: “procura e achará“
equivale a dizer: “encontrarás o que desejas“.
_André Luiz_

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

PRECE

ORAÇÃO DR. BEZERRA DE MENEZES

Nós Vos rogamos,
Pai de infinita Bondade e Justiça,
as Graças de Jesus Cristo através de Bezerra de Menzes e suas Legiões de companheiros.
Que Eles nos assistam Senhor Deus,
consolando os aflitos,
curando aqueles que se tornem merecedores,
confortando aqueles que tiveram suas provas e expiações a passar,
esclarecendo aos que desejarem conhecer a VERDADE,
e assistindo a todos quanto apelam ao Vosso infinito amor.

Jesus Cristo, Portador da Graça e da Verdade,
estendei Vossas Mãos Dadivosas em socorro daqueles que Vos reconhecem o Dispenseiro Fiel e Prudente.
Fazei-o Divino Modelo, através das Vossas Legiões consoladoras,de Vossos Santos Espíritos a fim de que a Fé se eleve,
a Esperança aumente, a Bondade se estenda,
e o AMOR triunfe sobre todas as coisas.

Bezerra de Menezes,
médico espiritual,
Apoóstolo do Bem e da Paz,
amigo dos humildes e dos enfermos,
movimentai as Vossa Falanges Amigas em benefício daqueles que sofrem,
sejam males do corpo físico ou da alma.
Santos Espíritos, Obreiros do Senhor
derramai as Graças e as Curas nsobre a Humanidade sofredora,
a fim de que as criaturas se tornem amigas da Paz,
do Conhecimento,
da Harmonia
e do Perdão,
semeando pelo mundo os Divinos Exemplos de Jesus Cristo.
Assim seja.


Dr. Bezerra socorrei a todos que necessitarem, com a poderosa Intercessão de Jesus Cristo, Filho de Deus, Nosso Pai, e da Virgem Maria Imaculada, Mãe de Deus e Nossa Mãe. Assim seja.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

CONSTRUIR


Construir
Para construir a natureza
gasta séculos de serviço.
Para destruí-la basta à chispa de fogo.
Para construir a casa, grande turma de
obreiros despende longos dias.
Para destruí-la, basta um só homem de
picareta, no espaço de algumas horas.
Para construir o jarro de legítima porcelana,
o ceramista utiliza tempo enorme de
vigília e preparação.
Para destruí-lo, basta um martelo.
Para construir o avião, primorosa equipe de
técnicos associa prodígios de inteligência,
na ação de conjunto.
Para destruí-lo, um erro de cálculo.
Para construir o depósito de combustíveis,
o homem é constrangido a providêdncias
numerosas, alusivas à edificação
e à preservação.
Para destruí-lo, basta um fósforo aceso.
Para construir a cidade, o povo emprega
anos e anos de sacrifício.
Para destruí-la, basta hoje uma bomba.
Irmãos, sempre que chamados à critica,
respeitemos o esforço nobre dos semelhantes.
Para construir, são necessários amor e
trabalho, estudo e competência, compreensão
e serenidade, disciplina e devotamento.
Para destruir, porém, basta o golpe.
_André Luiz_

ANSEIO DE AMOR


Anseio de Amor
Quando me vi, depois da morte
E reclamei contra a fogueira
Em sublime transporte.
Que me havia calcinado a vida inteira
Pela sede de Amor...
Quando aleguei que fora, em toda a estrada.
Folha ao vento.
Andorinha esmagada
Sob o trator do sofrimento.
Quando exaltei a minha dor
Mágoa de quem amara sempre em vão
Farta de incompreensão...
Alguém chegou junto de mim
E disse assim
Tão cansada e infeliz
Que noticias me dá do vale fundo

De provação.
Onde a criatura de tanto padecer
Não consegue saber.
Se sofre ou não?
Você, que diz a seio morto

Que me pode falar
Dos meninos sem pão e sem conforto
Das mulheres sem lar
Dos enfermos sozinhos
Que a febre e a dor
Esmagam nos caminhos.
Sem sequer um lençol
Ou a benção de uma prece.
Dando graças a Deus
quando a morte aparece?
Você, Maria Dolores
Que afirma ter amado tanto
E que deve ter visto
O sacrifício e o pranto
De quem Clama por Cristo.
Suplicando o carinho que não tem
Que me pode contar daquelas outras dores
Daquelas outras aflições
Dos que choram trancados
Em manicômios e prisões.
Buscando amor, pedindo amor
Exaustos de tristeza e amargura
Como feras na grade
morrendo de secura
De solidão, de angustia
E de saudades.
Bem -querer!...Bem-querer!...
Ai de mim, que nada pude responder!
Que tortura, meu Deus a verdade, no Além!
Calei-me, envergonhada...
Eu apenas queria ser amada
nunca amara ninguém...
Maria Dolores

sábado, 6 de agosto de 2011

NO RUMO DA PAZ...


 

No rumo da paz
Se você retirar da tristeza que lhe cobre o olhar,
observará que o sol e o Tempo renasceram,
hoje, a fim de que possa refazer-se e recomeçar.
Não se sabe de ninguém que houvesse conseguido
a restauração ou êxito em clima de desencanto.
Sorrir atraindo dedicações e possibilidades ou
mostrar a face agoniada da irritação, suscitando adversários ou problemas, dependerá sempre de
você mesmo. Ódio e medo, inveja ou ciúme,
desespero ou ressentimento desajustam a mente,
e a mente desequilibrada envenena o corpo.
Procure ver o melhor dos outros, e dê aos outros
o melhor de você, porque o pessimismo jamais
edifica. Você receberá auxilio e assistência na
medida exata das suas prestações de serviço ao
próximo, recebendo, ainda, por acréscimo,
valiosas bonificações da Providência Divina.
Recordemos que, situar-nos nas dificuldades dos
outros, de modo a senti-las como se fossem nossas,
para auxiliar aos outros, sem exigência ou
compensação, é a maneira mais justa de garantir
a paz. Lembremo-nos sempre de que a criatura
humana, seja qual for a condição em que se
encontre, conquanto as imperfeições ou fraquezas
que ainda carregue, é um anjo em formação,
caindo às vezes para levantar-se e aprender as
lições do Bem, com mais segurança. E, segundo
as leis da evolução, toda a criatura, a fim de
burilar-se, é chamada a esforço máximo,
na qual a dificuldade e o sofrimento estão
incluídos por ingredientes de progresso e
sublimação. Por isto, em quaisquer ocasiões,
seja de alegria ou inquietação, fracasso ou
refazimento, se aspiramos a seguir para as
vanguardas de elevação e felicidade, amor e luz,
só nos resta uma solução: trabalhar.
_André Luiz_

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

AMOR PELA DOR...


APROVEITANDO A INICIATIVA DA AMIGA SONIA



Amor pela dor

Em nome do amor, há crianças desamparadas,
velhinhos sem teto, doentes sitiados em rudes
privações, e almas feridas entre pesadelos e
aflições irremediáveis...
Em nome do amor, há quem abandone o
santuário doméstico, relegando os vínculos
da sua redenção a temporário esquecimento...
Em nome do amor, há quem se confie a
tragédias passionais, investindo contra o
objeto da própria devoção afetiva,
através da delinquência e da morte...
Em nome do amor, há quem provoque separação
e desespero, portas a dentro do lar, convetendo-o
em inferno de lágrimas a quatro paredes...
Em nome do amor, há quem menospreze o próprio
corpo, arrojando-se a despenhadeiros de remorso
e sofrimento, pelo desvão do suicídio...
Em nome do amor, há crianças desamparadas,
velhinhos sem teto, doentes sitiados em rudes
privações, e almas feridas entre pesadelos e
aflições irremediáveis...
Entretanto, semelhantes delitos, em nome da luz
que equilibra o Universo, são perpetrados pela
violência e pelo ciúme, pela cegueira e pela
incompreensão do egoísmo - o apego desvairado
a nós mesmos - , em cuja concha de trevas
habitualmente nos ocultamos, fugindo à
excelsitude do amor genuíno pelo amor de sofrer.
Aceitemos a luta por instrutora de nossa
existência, como quem sabe que nada existe sem preço. Adquiramos o tesouro do amor pelo
aproveitamento da dor.
Recebamos as lições da renúncia e o próprio
sacrifício por jorros de claridade celeste, nas
sombras de nosso "eu", e, aprendendo que mais
vale dar que receber, o amor transformará a face
de nossos destinos, porque tomará nosso coração
por trono de sua glória e, ensinando-nos a entender
e ajudar a todos, fará de nossa vida o santuário resplandecente e sublime da Vontade Justa e Misericordiosa de Deus.

***Emmanuel
***