quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Surpreendida com muita alegria ...

Bom dia queridos amigos !!!!

Hoje fui surpreendida ao abrir meu cantinho e ver que uma amiga muito querida havia deixado um recadinho com um presente tão maravilhoso ,gesto de carinho e verdadeiro amor fraterno ,aqui está  http://amigosdeblogagemcoletiva.blogspot.com.br/2013/06/dany.html , Não tenho nem palavras para agradecer a você querida Orvalho do Céu , meu coração transborda de alegria...  e olhem o mimo que a mesma me concedeu ...

E como hj estou falando de alegria então nada melhor do que postar sobre isso:

Normalmente, no transcorrer de nossas vidas, experimentamos muitas alegrias exteriores, motivadas pela ocorrência de acontecimentos ou fatos que nos são prazerosos, como a comemoração de um aniversário, o dia de nosso casamento ou a conquista de um bom emprego. Não obstante, tais momentos são fugazes ou precários, pelas próprias transformações que a natureza ou a vida nos impõem.
Como conseqüência, o que todos desejamos são alegrias duradouras, um estado de espírito alegre que não dependa de nenhum fato exterior, mas que brote espontaneamente de algo que nos transcende, mas que nos é muito íntimo: a presença de uma plenitude, um sentir de eternidade em tudo o que ocorre e que afasta todas as incertezas, por ser uma intuição mística e por se colocar acima dos acontecimentos, esperados ou fortuitos. É aquela alegria sugerida por S.Paulo na Carta aos Filipenses (cap IV).
Ora, a conquista de tal vivência é fruto de uma graça sobrenatural, por se encontrar acima de qualquer dúvida ou esforço, não estando, portanto, sujeita a nenhum condicionamento, surgindo como resultado natural de quem conseguiu alçar o mundo pleno da espiritualidade. Monges orientais e místicos cristãos conhecem bem os caminhos que nos levam a alcançar tal estado de alegria espiritual:
  1. a superação de todos os dualismos aparentemente contraditórios (vida ou morte, tempo ou eternidade, o bem e o mal), pela intuição de que há na Natureza esferas próprias e distintas de manifestações criativas, todas contribuindo para a integralidade do Todo, oscilando da rigidez da matéria ao simbolismo das manifestações virtuais! É a vivência do bem sobre todas nossas mazelas!
  2. A marcha dos acontecimentos é a autonomia do Espírito, o intercâmbio na concretização de suas quatro características fundamentais: criatividade, racionalidade, sentimento e liberdade. É o Espírito que dá sentido a todas as coisas!
  3. O Espírito nos é evidente pela intuição, pela inteligência ou pela fé, por conta de nossas condições materiais e biológicas. Abrir-se ao Espírito é encontrar as fontes de uma realidade perene, pelo sentir Sua Presença em qualquer situação.
  4. A presença do Espírito em nosso coração é o que dá garantia à nossa fé, relativizada que seja pela cultura ou pelo ceticismo. O importante é a vivência, aqui e agora, da oportunidade e da graça que nos são oferecidos em puro dom e gratuidade.
Descortinando novas experiências, a alegria trazida pela presença do Espírito é tudo o que o ser humano mais pode desejar, pelas transformações positivas que causa em nossa personalidade, seja interior ou exterior. Acessível a qualquer um, a alegria espiritual não necessita de nenhuma condição prévia, a não ser a graça de acolhê-la pela fé!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Gravidez e reencarnação

Como se inicia uma gravidez segundo espiritismo!Reencarnação!

De um tempo para cá eu começei a pensar como será que se inicia a vida na gravidez? quando é que acontece a reencarnação? deste de quando já tem espirito ligado ao feto?Aiaiai quantas duvidas!Então fuçando na net achei .
Eu vou colocar alguma coisa sobre o mês a mês da gestação, espero q gostem...


Como se inicia o processo da gravidez!

Na hora em que o óvulo é anexado ao expermatozóide dentro do útero de uma mulher, existem energias ali, positivas ou negativas nas paredes do útero, no seu corpo que definem o estado das primeiras células, se vão estar em estado negativo ou não, estas energias se forem de uma concepção feita com o amor em harmonia, serão positivas, se o feto está sendo gerado devido a algum estupro ou sexo sem amor, traições, interesses, as energias que vão estar impregnadas nas paredes do útero serão negativas.
Após a fecundação, tudo já está determinado por Deus, de maneira indireta, que é através de seus auxiliadores espirituais, qual vai ser o espírito que vai ter a graça de poder se reencarnar naquela vida que está se formando.
Surge então um fio muito fino feito de energias que liga o pequeno feto ao espírito que foi escolhido, o espírito a partir daí já tem a certeza de sua reencarnação e fica em estado de alegria, de euforia em saber que vai ter uma nova chance de pagar seus pecados e se evoluir espiritualmente, começa a fazer mais planos de tudo o que pretende fazer para que não caia em armadilhas e fique estacionado no plano espiritual, sente um grande amor vindo de Deus em se lembrar dele e se promete em ser um homem ou mulher de boa índole para não cair nos vícios mundanos outra vez.
Após a fecundação do óvulo as energias mesmo negativas se tornam boas energias vindas de Deus, o milagre da vida acontece, a mulher muda suas feições e fica com um ar de mãe no rosto, suas feições ficam vivas, os olhos demostram que dentro dela está acontecendo um ato divino.
Este fio que parece uma linha, mas feito de energia pura, não se rompe, ésta energia vem do cosmo, do universo, faz parte da criação, ela percorre longas distancias, e não tem possibilidade de se partir, porque ela é renovada sempre com as energias que estão no universo desde o princípio das coisas.

Primeiro Mês

O espírito que está ligado ao feto por um fio começa a sentir um torpor, uma certa sonolência em pensar, fica mais difícil agir, o fio que os une fica mais grosso, no final do primeiro mês ele já tem mais ou menos dois milímetros de diâmetro.

Segundo Mês

Ainda com consciência o espírito procura um contato com seus futuros pais, tenta participar de sonhos durante a noite, tenta um contato, tem vontade de se revelar e pedir a seus pais que o aceitem, sente ansiedade, sua espiritualidade esta ligada a da mãe, quando a mãe está nervosa ou cansada, o feto mesmo com dois meses já tem uma pré visualização do caráter e dos sentimentos de sua futura mãe.

Terceiro Mês

O cordão que une o espírito ao feto já é mais grosso, como um cordão umbilical, só que de pura energia, este cordão liga o feto ao espírito que geralmente fica próximo, se a mãe tem problemas de aceitação da nova gestação, ou problemas de relacionamento com seu parceiro, ela envia energias ao feto sob a forma negativa, mas o amor materno já é mais forte e acaba purificando a concepção do feto e do cordão que une o feto ao espírito.


Quarto Mês

Há esta hora o espírito que está ligado ao feto esta completamente adormecido para vida espiritual e começa a ter uma vida intra-uterina, brinca, se mexe, às vezes este período se dá no terceiro mês, suas lembranças da vida passada e da vida espiritual vão se guardando no subconsciente, que por sua vez são transferidas ao perispírito que já está se anexando ao novo corpo, em seu celebro ficam gravadas vagas lembranças, as coisas que o espírito sabe, como tocar música, situações que marcaram muito, coisas que aprendeu em vidas passadas, ficam marcadas na memória do bebê, de forma que quando ele crescer vai ter mais facilidade ou aptidões ligadas a experiências do espírito.

Quinto Mês

Neste mês o espírito já com seu perispírito anexado ao bebê e com o cordão umbilical feito de energia espiritual já com dois centímetros de diâmetro, se o espírito não estiver ainda no corpo do bebê, este cordão atrai o espírito para junto de seu perispirito, nesta hora o espírito se incorpora de maneira definitiva ao bebê e começa a ter informações vindas do celebro do bebê com mais intensidade, carinhos que a mãe faz, vozes, barulhos, tudo isso vai ficando registrado no espírito do bebê que já está ali dentro da barriga da mãe, os pensamentos do espírito e sua consciência começam a voltar gradualmente, mas já usando os neurônios ainda em formação do bebê, portanto o espírito nesta hora já está pensando como um bebê.

A partir deste mês já está completa a transferência, a reencarnação de uma nova vida.

Sexto Mês

No sexto mês em diante o espírito já está completamente em nosso mundo, reencarnado, e daí para frente ele procura se adaptar ao novo corpo que lhe foi dado por Deus, seus pensamentos mesmo tendo algum carma a resolver aqui na terra, seus pensamentos são inocentes, as energias estão renovadas e em positividade, o espírito vai ter uma chance de recomeçar do zero na vida carnal.


Sétimo mês

No sétimo mês de gestação o celebro do bebê ainda em desenvolvimento final não está preparado para receber a consciência e a personalidade do seu espírito, estas funções ainda ficam como que adormecidas, o espírito também sente sua individualidade e seu modo de pensar adormecido, o bebê está restrito ainda aos primeiros instintos humanos, fome, dor, sono, alegria, tristeza, os movimentos do bebê são involuntários e sem coordenação motora.

A verdadeira personalidade que está estampada no intimo do espírito só aparece entre os seis e sete anos, isto porque primeiro ele precisa receber nos primeiros anos de vida a educação, o amor e o caráter de sua família.

No sétimo mês o espírito tem ligeiros momentos de lucidez onde ele vê sua próxima encarnação e seus resgates de antigos carmas que ele precisa fazer, muitos espíritos ainda sem evolução espiritual se intimidam por saberem que sua nova vida vão ter que passar por momentos difíceis, outros que já tem um pouco mais de adiantamento espiritual, ajudam a sua próxima família a recebê-lo em sua nova jornada, costumam visitar sua nova Mãe e Pai em sonhos durante a noite, outros conseguem magnetizar primeiramente o útero e depois o corpo todo de sua progenitora, trazendo energias positivas e restauradoras.

A concepção de uma nova vida é abençoada por Deus, as dores e os sofrimentos de uma Mãe antes do parto são recompensadas a ela pelo amor que ela vai receber em seguida, este amor não é um amor comum, não é um amor de filho para Mãe, um amor espiritual que atravessa encarnações.

Oitavo mês e o nono mês


O espírito já inteiramente lúcido e ligado ao seu novo corpo já não pertence mais ao mundo espiritual, a ansiedade toma conta de seu ser, tudo que ele deseja é que o parto seja breve e que tudo saia bem, ele escuta a voz de sua Mãe e seu Pai, sente o amor que vem dos dois, em sua mente já sabe que vai nascer para o mundo, em suas lembranças não sabe mais que está reencarnando, nem sabe de suas vidas passadas, um novo começo se abre em seu horizonte, ele sabe que irá ter uma nova chance e vai começar do zero, até a sua inteligência e seu conhecimento ficaram adormecidos, sua aparência vai ser de um bebê com a inocência divina, um anjo que nasce, a doçura e a fragilidade nos cuidados só despertam os instintos de Mãe.
Esta é a contribuição de Deus para o mundo um dia ficar melhor, a cada momento nasce um anjo novo, uma nova vida.
Fonte :sermaegravidez.blogspot.com.br

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ESPIRITUALIDADE


BOM NÃO PODEREI FALAR SOBRE A ESPIRITUALIDADE SEM COLOCAR AQUI OQUE ACREDITO,ENTÃO FIZ UM MINUCIOSO ESTUDO DE MUITAS COISAS PARA PODER FALAR EXATAMENTE OQ SEI E ACREDITO...
"Para se designarem coisas novas são precisos termos novos. Assim o exige a clareza da linguagem". É a primeira frase do "Livro dos Espíritos" de Allan Kardec. Ele tentou precisar, logo no início, a nuance entre as palavras espiritual, espiritualista e espiritualismo, que têm uma acepção bem definida, e as palavras espírita e espiritismo. "O espiritualismo é o oposto do materialismo; qualquer um que creia ter em si algo além da matéria é espiritualista; mas não segue daí que necessariamente acredite na existência dos Espíritos ou em suas comunicações com o mundo visível. Em lugar das palavras espiritual e espiritualismo, empregamos, para designar esta última crença, espírita e espiritismo." Esses termos são então neologismos, isto é, palavras criadas e definidas por Allan Kardec.
Um espírita é então um espiritualista, pois tem a certeza experimental da existência dos espíritos, que são as almas dos homens em transição entre o túmulo e o berço. Nesta exposição, tentaremos mostrar que elas são as bases das convicções espiritualistas do espírita e as conseqüências do Espiritismo no plano da ética.

"A doutrina espírita, no que concerne às penas futuras como em seus outros temas, não está fundada sobre uma teoria preconcebida; não é um sistema substituindo outro sistema: em tudo se apóia em observações, e é isto que lhe dá sua autoridade. Então, de forma alguma se tem imaginado que as almas, após a morte, devem se encontrar em tal ou qual situação; são os seres mesmos que deixaram a terra que vêm hoje nos iniciar nos mistérios da vida futura, descrever sua posição feliz ou infeliz, suas impressões e sua transformação na morte do corpo; em uma palavra, completar sobre esse ponto os ensinamentos do Cristo" (10).
A ética espírita coincide então com a ética cristã, tal qual foi ensinada e praticada por Jesus, e com aquela ditada pela consciência isenta de prejulgamentos e interesses. "A moral dos Espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: Agir para com os outros como quereríamos que os outros agissem para conosco; quer dizer, fazer o bem e nunca fazer o mal. O homem encontra neste princípio a regra universal de conduta para suas mínimas ações" (11).
À questão 625 do "Livro dos Espíritos": "Qual é o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem para lhe servir de guia e modelo?", os Espíritos responderam: "Jesus".
O Espiritismo oferece uma visão global que permite compreender as razões da convergência de três vertentes independentes - a racional espírita, a cristã e a da consciência - para um mesmo conjunto de normas morais, que se resume no respeito e no amor ao próximo.
Cada uma se baseia, em última instância, na penetração nas próprias estruturas do Universo, reguladoras da harmonia que aí reina.
O Espiritismo atinge este objetivo pela observação científica dos fenômenos naturais, aliada aos métodos de análise racional. A consciência do ser humano é o dispositivo natural que lhe permite "concordar" com o plano geral do Universo, e evoluir de modo ordenado.
Jesus, espírito puro e inteligente, com os sentimentos e a intuição desenvovidos a um grau que não podemos assimilar, não está certamente limitado aos meios de que dispomos para penetrar as leis do Universo. Utilisou outros meios que escapam completamente aos nossos limites conceituais.
Sublinhamos que a coerência não se prende à ética cristã, mas se extende igualmente às bases fundamentais de outras religiões. "Não há para o homem de estudo nenhum antigo sistema filosófico, nenhuma tradição, nenhuma religião a ser negligenciada, porque todos encerram os germes de grandes verdades que, se bem pareçam contraditórias umas às outras, esparsas que estão em meio a acessórios sem fundamento, são muito fáceis de coordenar, graças à chave que nos dá o espiritismo para uma multidão de coisas que têm podido, até aqui, nos parecer sem razão e das quais a realidade nos é demonstrada hoje de maneira irrecusável" (12).
"A conseqüência do espiritismo é tornar os homens melhores, e portanto mais felizes, pela prática da mais pura moral evangélica" (13). A verdade espírita então não se reconhece unicamente pelo conhecimento racional da doutrina espírita. A certeza positiva sobre o porvir, decorrendo de fenômenos que atingem seus sentidos, faz que se comportem conforme a ética e a moral ensinada por Cristo. Sua máxima é aquela de Allan Kardec: « Fora da caridade, não há salvação! », porque sabe que seu interesse pessoal não será servir senão em função de seu ardor pelo interesse coletivo. Não tem absolutamente nenhum propósito lucrativo, nenhuma ambição de poder ou de posição a não ser esta, de progredir na sua evolução e de fazer progredir o seu próximo.

7. CONCLUSÃO

A rejeição sem provas ou a recusa de examinar racionalmente o mundo espiritual apresentam o inconveniente de deixar o campo livre aos abusos de todo gênero, geralmente de ordem financeira, e algumas vezes mesmo dramáticos, explorando a credulidade das pessoas. O Espiritismo traz os elementos lógicos que permitem refutar esses abusos de maneira formal, oferecendo a todos respostas claras e consoladoras à maioria das questões existenciais, tão freqüentes na origem do desespero humano.
O Espiritismo não faz nenhum proselitismo, e não pretende deter a exclusividade da Verdade. Allan Kardec pergunta humildemente: "Qual é o homem que pode se gabar de a possuir inteiramente, quando o círculo dos conhecimentos cresce sem cessar, e as idéias se retificam a cada dia?" (14).
O Espiritismo proclama a liberdade de consciência, o direito de livre exame em matéria de fé. Recebe os que vêem voluntariamente à ele, e não procura desviar ninguém de suas crenças ou de sua religião. A crença de uma pessoa importa pouco, desde o momento em que ela trabalhe para o bem de seu próximo. O Espiritismo se dirige àquele que, estando perdido ou não estando satisfeito com o que se lhe tem sido dado, procura alguma coisa de melhor. Não diz: "Creia primeiro, e compreenderá em seguida se você puder", mas "Compreenda primeiro, e creia em seguida se você assim o quiser".
Encorajamos as pessoas, desejosas de se esclarecerem, a ler e meditar, não mais que as trinta páginas da introdução do Livro dos Espíritos, que lhes confirmarão que o objetivo essencial do Espiritismo não é senão o de procurar o que pode ajudar ao progresso moral e intelectual dos homens.
SEM CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO!!!
QUE DEUS NOSSO PAI E JESUS NOSSO IRMÃO MAIOR POSSA ABENÇOAR SEMPRE NOSSO ORVALHO DO CÉU (Rosélia)...PARABÉNS AO BLOG  ...2 ANINHOS!!!
http://espiritual-idade.blogapot.com/

Para vc Roselia querida pelo aniver~´ario do blog,sinta-se á vontade para dar a todos q participaram desta festa maravilhosa, grande abraço fraterno em seu coração...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

EFETIVAMENTE


Efetivamente 

Vigiar não é desconfiar. É acender a própria
luz, ajudando os que se encontram nas sombras.
Defender não é gritar. É prestar mais intenso
serviço às causas e às pessoas.
Ajudar não é impor. É amparar, substancialmente, sem pruridos de personalismo, para que o
beneficiado cresça, se ilumine e seja feliz por si mesmo. Ensinar não é ferir. É orientar o próximo, amorosamente, para o reino da compreensão e
da paz. Renovar não é destruir. É respeitar os fundamentos, restaurando as obras para o bem
geral. Esclarecer não é discutir. É auxiliar, através do espírito de serviço e da boa-vontade,
o entendimento daquele que ignora.
Amar não é desejar. É compreender sempre,
dar de si mesmo, renunciar ao próprios caprichos
e sacrificar-se para que a luz divina
do verdadeiro amor resplandeça. 

_André Luiz_

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

BOM ÂNIMO


Bom - ânimo
* Dificuldades? Não perca tempo, lamuriando. Trabalhe.
* Críticas? Nunca aborrecer-se com elas.Aproveite-as
no que mostrem de útil.
* Incompreensões? Não busque torna-las maiores,
através de exigências e queixas. Facilite o caminho.
* Intrigas? Não lhes estenda a sombra. Faça alguma
luz com o óleo da caridade.
* Perseguições? Jamais revida-las. Perdoe esquecendo.
* Calúnias? Nunca enfurecer-se contra as arremetidas
do mal. Sirva sempre.
* Tristezas? Afaste-se de qualquer disposição ao desânimo.
Ore abraçando os próprios deveres.
* Desilusões? Por que debitar aos outros a contra de
nossos erros? Caminhe para frente, dando ao mundo e
á vida o melhor ao seu alcance.
* Doenças? Evite a irritação e a inconformidade.
Raciocine nos benefícios que sofrimento do corpo
passageiro trazem á alma eterna.
* Fracasso? Não acredite em derrotas.Lembre-se de
que, pela benção de Deus, você está agora em seu
melhor tempo, - o tempo de hoje, no qual você pode
sorrir e recomeçar, renovar e servir,
em meio de recursos imensos.
_André Luiz_

terça-feira, 16 de agosto de 2011

INSPIRAÇÃO


Inspiração
São vozes cantando hinos
Mãos criando vida e cor
Dramas e comédias em cena
Para as nuances do amor
Quando os homens se esquecem
Dos valores imortais
O mundo assiste as tragédias
Nas cenas que são reais
Quando a música envolve
O ser que erra e chora
O espírito se transforma
E o ambiente melhora
O Pai bondoso nos vigia
Inspirando a paz e o bem
Dignificar todas as artes
E honrar a Deus também
Criar o bom e o belo
Com nobreza e alegria
É semear em toda parte
O esplendor de um novo dia
Novos tempos, nova forma
De pregar e construir
Iluminar consciências
Renovar e divertir
Com sons, cores, gestos e formas
Vozes, mãos e instrumentos
Se transformam as paisagens
E também os sentimentos
Que vibram além do éter
Dulcificando a existência
Alcançando o Pai amado
E conquistando clemência
( Pensamentos espíritas )

sábado, 13 de agosto de 2011


Na Obra do Cristo


Lembrando a palavra do Senhor
quando despediu os companheiros de
apostolado, recomendando-lhes não se
preocupassem, acumulando nas mãos
ouro e prata, bolsas e bastões, para
a caminhada na obra sublime
que lhes competia realizar, também hoje,
na missão espírita-cristã,
que nos objetiva o justo aperfeiçoamento,
podemos dispensar tudo o que seja em
nós aflição sem proveito.
Nem cobertura política.
Nem lustre social.
Nem ouro prescindível.
Nem reserva nos bancos.
Nem garantias extralegais.
Nem vantagens de exceção.
Nem acesso à influência.
Nem láurea de governança.
Nem títulos invulgares.
Nem ambição de ganho.
Nem propósito de destaque...

Mas sim que, em toda hora, estejamos
atentos ao dever de servir, esquecendo
a nós mesmos para exalçar o Cristo,
nosso Mestre e Senhor,
por sentimento e vida, por palavras
e ações, poquanto d´Ele próprio tudo
receberemos, para que não nos falte
o exato suprimento
dos recursos precisos á construção
do bem e ao plantio da luz.

***Emmanuel
***